Téo - relato de caso de (reiki x câncer)


Hoje o texto é sobre o caso do Téo e o relato foi escrito pela própria tutora.

“Oi! Meu nome é Silvia e venho aqui contar minha experiência com o reiki.

Há 3 meses atrás, meu querido gatinho Téo, com quase 18 anos, nascido em casa, manifestou muito desconforto e dor ao comer.

Levei ao veterinário que o diagnosticou com doença periodontal. Marquei consulta com especialista na área odontológica para fazer o tratamento. No dia da cirurgia, o odontologista me avisou que havia detectado células com aparência cancerosas na mandíbula esquerda de Téo, e que estava encaminhando para biópsia.

Quase morri de tristeza... e fiquei pior alguns dias depois quando o diagnóstico se confirmou. Chorei um rio de lágrimas.

Fui com ele de novo ao veterinário para saber as opções. Somente quimioterapia.

Decisão difícil submeter um felino de 18 anos a um tratamento quimioterápico e todos seus efeitos colaterais.

Refleti muito sobre a idade dele, sua qualidade de vida, como ele preferiria viver sua velhice e optei por não submetê-lo à quimioterapia.

Lembrei de uma amiga que tinha tido ótimo resultado ao tratar sua gatinha com veterinário especializado em reiki e entrei em contato com o Dr. Ricardo para iniciarmos o tratamento.

Nestes três meses estamos enfrentando batalhas. Logo no início, Téo estava bastante debilitado, perdendo peso, fraco, desanimado, completamente diferente de seu jeito habitual.

Tinha muita coceira em volta dos olhos e do pescoço. Estava perdendo pelo, formando crostas e com inchaço visível na região dos olhos.

A alimentação com sonda estava causando diarreias constantes.

Téo sempre foi dependente em excesso de mim.

Eu estava extremamente deprimida com o diagnóstico e não conseguia me conformar.

Começamos com o reiki à distância, via Skype, duas sessões por semana.

Logo no início, Téo se afastou de mim e se ligou a meu marido, que estava reagindo muito melhor que eu aos fatos e com mais condições de tratar dele.

O tratamento sempre primou pelo todo, mas com intervenções nas áreas que se apresentavam mais problematizadas, como por exemplo a região dos olhos e a coceira do pescoço, pois ele se feria demais.

Lentamente Téo começou a apresentar melhoras em todas as áreas, inclusive na sua disposição geral.

A pele da área dos olhos voltou ao normal e a pelagem está crescendo.

Com o tempo, foi se reaproximando novamente de mim.

O emagrecimento parou. Voltou a ser um gato ativo. Não como antes da doença, mas totalmente funcional.

Convive bem e normalmente com os outros gatos da casa. "Entra na fila" da água da banheira junto com os demais gatos. Voltou a se interessar por comida e quando consegue, come ração dura e carne crua. Raramente sente dor.

Não corre mais como antes, nem brinca tanto, mas também não se pode esquecer que além da doença ele é um senhor de 18 anos.

Continua carinhosíssimo e muito amado. Passei agora o tratamento com reiki para uma sessão por semana e Téo continua se sentindo bem. Ele tem apresentado uns espirrinhos e estamos nos concentrando nisso.

Só tenho boas experiências a relatar e recomendo o reiki a todos aqueles que queiram tratar seus amigos peludos com terapias não invasivas.

Tenho tido resultados palpáveis e muito bons. Téo que o diga.”

Esse foi o relato de Téo e um dos muitos efeitos e benefícios do Reiki!

Você pode se tornar reikiano também e aplicar o Reiki nos animais, em pessoas e você.

Saiba mais aqui ou na nossa agenda de cursos. =)

Quer receber as novidades, dicas, cursos e conversas online? É só clicar aqui: receber novidades

Abraço!

Ricardo Garé

Mestre em Reiki, Instrutor e terapeuta de ThetaHealing, Terapeuta Floral e Veterinário Holístico

#reikiparaanimais #reikiveterinário #reikiemanimais #reikiemgato #reikietumor #reikiecancer

1,089 visualizações

© 2016 Estúdio MUNI

CONTATO

RECEBA NOSSO

INFORMATIVO